Demo

Loja Gaviões da Fiel – Novo Case Mercadoshops

A nova Loja da Gaviões da Fiel foi colocada ao ar. Novo layout personalizado da Virtual Ideas, para plataforma Mercadoshops.

E o que podíamos fazer para o e-commerce Loja Gaviões da Fiel?

Elaboramos um projeto visual no qual o foco foi diferenciar o layout sem perder as caracteristicas da torcida. Alinhados com as melhorias que a nova diretoria busca para torcida, a criação do projeto foi fazer uma loja que o torcedor se identifique e mostre os produtos de maneira clara e objetiva.

Criar o Layout Loja da Gaviões da Fiel

O projeto todo teve enfoque em manter a linguagem visual da torcida sem prejudicar a experiência de usuário. O torcedor consegue acesso fácil aos produtos que são mostrado com a mensagem da Gaviões.

As cores do Time

AS cores utilizada são as de base da torcida, soberania do preto e os detalhes de navegação no vermelho. Cria a mesma atmosfera da torcida que o torcedor encontra no estádio.

Ilustrações Loja da Gaviões da Fiel

Os ícones e símbolos usados projeto, foram criados e baseados na identidade visual da Torcida focando a mensagem de identidade entre torcida e usuário.

Estrutura do Layout

Com banners institucionais da torcida em meio a diagramção, refoça a idéia da torcida em seu visual, mostrando o ambiente de estádio no qual o produto será usado.

Layout do Produto e Categoria

As duas  páginas seguindo a estrura e estilo do layout, focam em enfatizar o produto mantendo elementos visuais que enfatizam a identivisual da Torcida.

Veja o Case Loja da Gaviões da Fiel ao vivo

Confira como resolvemos os problemas apresentados pelo cliente com o visual em destaque e com a programação otimizada para a plataforma, veja neste link o projeto ao vivo:

Loja das Gaviões da Fiel

loja gavioes da fiel

loja gavioes da fiel



Precisa de ajuda ? Solicite um orçamento

O e-commerce é imune à crise?

A divulgação de que as vendas líquidas da C-Nova Brasil aumentaram 20,5% no 2º trimestre parece contradizer tudo que temos lido na imprensa sobre as perspectivas em relação a 2015. Diante de um cenário de incerteza política e previsão de encolhimento de PIB, uma companhia de alguns bilhões de reais crescendo a dois dígitos é um verdadeiro oásis num deserto de anúncios de demissões e fechamentos de empresas.

36% dos pagamentos móveis são feitos com iPhone, revela pesquisa

A Adyen, empresa global de pagamentos multicanal, levantou seu recorte trimestral sobre o Mobile Payments Index (MPI), que monitora os dados de pagamento móvel baseado em toda a base de clientes globais da Adyen. – O índice revela que os dispositivos iPhone são responsáveis por 35,6% de todas as transações feitas na plataforma usando dispositivos mobile, e são agora usados para 10,2% de todas as transações on-line globais, acima dos 8,6% que foram registrados no final de 2014. – Em contrapartida, depois de ter dominado a cena de pagamento móvel com um market share de quase 50% em março de 2013, as transações nos iPads hoje respondem apenas 28,5% de todas as transações mobile na plataforma. – Pagamentos na plataforma feito por smartphones Android tem crescido praticamente em paralelo com o iPhone desde setembro de 2014. – Índice total de pagamentos mobile on-line foi de 27,2% no 1º trimestre de 2015, para 28,7% no 2° trimestre. Smartphones garantem liderança nas transações mobile O MPI da Adyen aponta que, em termos de volume de transações, os smartphones enfaticamente lideram, com aumento de 61,8% de todas as operações mobile no primeiro trimestre, para um total de 64,1% no 2º trimestre. E não é só devido ao iPhone. Smartphones Android continuam a crescer e seu share de volume de transações mobile aumentou de 27,2% no primeiro trimestre de 2015, para 28,3%. Em contrapartida, o uso de tablets em relação ao mesmo período, caiu de 38,2% no 1º trimestre de 2015, para 35,9% ao final de junho de 2015. Usuários iOS gastam mais por transação do que os usuários do Android Pela primeira vez um recorte trimestral do Mobile Payment Index traz o monitoramento da transação média (ATV) por tipo de dispositivo. O levantamento aponta que compradores que usam um iPad gastam uma média US$ 115 / R$ 367 por transação, significativamente maior do que o ATV para tablets Android em US$ 93 / R$ 297. Já para smartphones, o ATV do sistema operacional de iPhone alcançou média de US$ 82 / R$ 262 em comparação com um ATV Android de US$ 75 / R$ 240. “O crescimento contínuo da popularidade do iPhone para fazer compras on-line, juntamente com a ATV maior de compradores que usam iOS, sugerem que as empresas – especialmente aqueles que se classificam como marcas premium – devem privilegiar este valioso grupo para investimentos em particular”, disse Roelant Prins, Diretor Comercial da Adyen. “A Apple Pay, como fica disponível em mais mercados, representa uma grande oportunidade para as empresas, pois lhes permite oferecer uma experiência de pagamento perfeita para usuários iOS”. Tablets ganham no varejo, smartphones lideram no digital Apesar do aumento constante do volume de transações smartphone, quando se trata de bens físicos (incluindo itens como roupas, móveis, eletrodomésticos e mantimentos), quem compra pelo mobile ainda prefere os tablets. Na verdade, 19% das transações online de bens físicos estão em um tablets, em comparação com 12% em um smartphones. No entanto, para produtos digitais (incluindo jogos, reservas de hotéis e tickets), smartphones respondem por 26% dos pagamentos online, acima dos 21% no início do ano. Em contrapartida, apenas 8% dos bens digitais foram comprados em um tablet neste trimestre. Europa continua com adoção rápida Em termos de regiões, a Europa liderou o segundo balanço do ano (30,4%), seguida da América do Norte (26,7%) e Ásia (21,4%). Todas estas regiões aumentaram o seu share de pagamentos móveis em cerca de um ponto percentual do último trimestre. Em termos de mercados individuais, o Reino Unido continua a liderar absolutamente. No 2° trimestre de 2015, 44,8% dos pagamentos on-line no Reino Unido foram feitos usando um dispositivo mobile, um aumento de dois pontos percentuais desde o início do ano. Se a tendência atual persistir, o Reino Unido pode superar a marca de 50% para transações móveis na metade de 2016. “A grande novidade dominando os pagamentos no Reino Unido neste trimestre é o lançamento da Apple Pay. Nossos resultados mostram que, com a alta popularidade de pagamentos móveis e de alta penetração de iPhones no mercado no Reino Unido, a Apple Pay oferece uma oportunidade única para as empresas se conectarem com um cliente que já está acostumado a fazer compras por celular”, explica Myles Dawson, Country Manager da Adyen no Reino Unido. Perspectiva para o mercado brasileiro Segundo o VP Sênior LatAm da Adyen, Jean Mies, ao levarmos em consideração a alta na aquisição de smartphones pelos brasileiros, o panorama dos pagamentos mobile no país é positivo e indica um crescimento nas transações no país para os próximos anos.  “A tendência de crescimento dos pagamentos móveis que observamos nos principais mercados do mundo, também é visível no Brasil. O Brasil é hoje o mercado de maior crescimento em vendas de Smartphones e cresceu mais de 50% no ano de 2014. Ao mesmo tempo, somente 30% dos usuários de smartphones efetuam compras online através de seus dispositivos móveis. Ou seja, o potencial de negócio para os próximos anos é imenso. A popularização de serviços que se baseiam em tecnologias móveis, como os serviços de taxi, certamente ajudarão a acelerar a difusão  dos pagamentos móveis no Brasil.”

Fonte: E-commerce news

E-commerce brasileiro bate 2 milhões de trocas de preço no 1º semestre

O e-commerce brasileiro alcançou a marca de 2 milhões de trocas de preço só no 1º semestre de 2015. O dado faz parte do levantamento feito pela Sieve Price Intelligence em parceria com a Keyscores e o E-Commerce Brasil durante o período de 1º a 30 de junho de 2015, em 282 sites, analisando ao menos 1 milhão de URLs únicas.
Segundo a pesquisa, de janeiro até junho, o e-commerce brasileiro registrou 2.088.571 variações de preço, sendo destas, 54% para cima e 46% para baixo. Ainda de acordo com o estudo, junho registrou queda de 45% nas trocas de preço quando comparado ao mês anterior. Enquanto junho teve 288.517 alterações no preço, sendo destas, 169.342 para cima (59%), e 119.175 para baixo (41%); em maio, as lojas virtuais alcançaram a marca de 526.202 variações, representando, até agora, o mês com mais trocas. Apesar de junho ter uma data sazonal, o Dia dos Namorados (12 de junho) não contribuiu para o comportamento das mudanças. O pico antes da data comemorativa ocorreu em 2 de junho, com 3.777 oscilações. Por sua vez, 30 de junho foi a data com maior quantidade de alterações: 54.781. “Muitas lojas virtuais preferem reposicionar os preços nos últimos dias ou na virada do mês, para compensar os descontos dados ao longo do período”, explica Jefferson Costa, Gerente de Inteligência de Preços da Sieve. Um dado que comprova isso é a troca de preços por quinzena. A segunda do mês corresponde a 88% do total de alterações do mês, enquanto a primeira quinzena representa apenas 12% do total.

Fonte: E-commerce news